TOPO
EFICÁCIA DO INSTITUTO MÉDICO-LEGAL NINA RODRIGUES EM VERIFICAÇÕES DE MORTE NATURAL. - Perspectivas
fade
3925
single,single-post,postid-3925,single-format-standard,eltd-core-1.0,perspectivas alto grau-ver-1.0,,eltd-smooth-page-transitions,ajax,eltd-grid-1300,eltd-blog-installed,page-template-blog-standard,eltd-header-vertical,eltd-sticky-header-on-scroll-up,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-dropdown-default,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

EFICÁCIA DO INSTITUTO MÉDICO-LEGAL NINA RODRIGUES EM VERIFICAÇÕES DE MORTE NATURAL.

Autora: Venandra Andrade (1),

Co-autores: Prof. Dr. Bruno Gil (2),

Manuela Sanches (2)

(1) Estudante do 5º ano da EBMSP

(2) Estudante do 3º ano da EBMSP

Telefone para contato: (71) 991622320 E-mail: venandra@hotmail.com

Escola de Medicina, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Bahia; 2016.

A Declaração de Óbito (DO) é indispensável para o estudo epidemiológico de uma região. A depender da causa mortis, a DO pode ser emitida por órgãos como o Instituto Médico-Legal (IML) ou Serviço de Verificação de Óbitos (SVO). Os óbitos por causas externas, quem emite é o médico legista do IML. Caso o óbito tenha ocorrido sem suspeita de morte violenta, mas sem assistência médica, o corpo deve ser encaminhado para o SVO. Na capital da Bahia, os corpos de causa natural que necessitam de SVO são direcionados para o IMLNina Rodrigues (IMLNR). Como o IMLNR não é um órgão especializado para o estudo de mortes naturais, a efetividade do serviço para tal tende a cair. O objetivo do estudo é avaliar a eficácia do IMLNR em verificar as mortes de causa natural. Trata-se de um estudo descritivo, em que foram levantados todos os laudos de mortes naturais e uma mesma quantidade dos de mortes violentas para comparação no período de Janeiro e Fevereiro de 2012 no IMLNR. Foram analisados 662 laudos necroscópicos. As mortes naturais representam 28% do total de necropsias realizadas no período estudado. A média de idade dos envolvidos em mortes violentas foi de 31,9 anos e de mortes naturais foi de 50,6. Foram solicitados 516 exames complementares para necropsias de mortes violentas, sendo a mediana de 2 exames e as mortes naturais foram responsáveis por 623 exames, com mediana de 2 exames. Dentre as necropsias de óbitos naturais, 21,5% não obtiveram conclusão da causa da morte, enquanto todas as mortes por causas externas foram determinadas. O tempo de liberação dos laudos para mortes do tipo violenta obteve uma mediana de 142 dias e para as mortes naturais a mediana foi de 216 dias. As variáveis tempo de liberação, número de exames solicitados e determinação da causa mortis alcançaram significância estatística. Conclui-se que o IMLNR é ineficaz em relação à realização das necropsias e emissão de laudos dos óbitos de causas naturais, existindo uma grande proporção de laudos com causas indeterminadas deste tipo de morte. Em contrapartida, trata-se de um órgão público eficiente em relação às necropsias por causas violentas, realizando-as com uma menor quantidade de exames complementares e emitindo-as mais agilmente.

REFERÊNCIAS:

1. BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Federal de Medicina, Centro Brasileiro de Classificação de Doenças. A declaração de óbito: documento necessário e importante. 2ª ed. Brasília, 2007.

2. Hosoume VSN, Oliveira JPS, Santos FAF, Silva JAC, Teixeira RKC, Yamaki VN. Declaração de óbito, compromisso no preenchimento. Avaliação em Belém – Pará, em 2010. Revista da Associação Médica Brasileira 2013; 59(4): 335-340.

3. Alves MDS, Conceição MR, Diniz SAN, Gurgel MGI, Passos MLL, Pinto CHCC. Investigação de óbitos por causa mal definidas: estratégia de fortalecimento da vigilância em saúde. Revista da Rede de Enfermagem no Nordeste 2012; 13(4): 871-879.

4. Rozman MA. Mortalidade por causa mal definida no Brasil, Estado de São Paulo e Baixada Santista. 1980-2002. Tese apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo para obtenção do título de Doutor em Ciências 2007.

Artigo impresso em: 2018-12-15 18:17:32


Venandra Andrade et al.



ABMLPM - Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas - afiliada à AMB
Escritório Administrativo - Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278 – 7º andar – Bela Vista
São Paulo – SP – CEP: 01318-901
Fone: (11) 3101-5994 / Celular: (11) 9.7403-4818 (operadora Vivo)